Política Comentários

Promotoria acusa ex-prefeito de causar prejuízo em mais de R$ 80 mil

Dezembro 18 / 2017

As ações foram manejadas pela Promotoria de Estrela D'Oeste, na região de Fernandópolis.

A Promotoria de Justiça de Estrela D`Oeste ingressou com três ações por reparação de danos ao erário contra o ex-prefeito de Dolcinópolis. Os ofícios são provenientes do atual chefe do Executivo de Dolcinópolis com notícias de diversas irregularidades ocorridas no ano anterior (2016) no âmbito da administração municipal, durante a gestão do requerido José Luiz Reis Inácio de Azevedo, (foto) preso pela Polícia Federal..
A representação e documentos apresentados retratavam graves irregularidades dentre as quais cita-se (i) pagamento no fim da gestão para prestadores de serviços sem prévio procedimento licitatório e produtos em estoque (ii) liquidação de despesas (baixa de empenhos) sem efetivo pagamento do fornecedor ou prestador de serviços (iii) desvio (aplicação indevida) de recursos repasados para programas de merenda escolar e transporte estadual (iv) desvio (aplicação em finalidade distinta) de recursos destinados à manutenção do PAIF (Serviço de Proteção e atendimento integral à família) e (v) desvio de outras finalidades cujos prejuizos preliminares passam dos R$ 80 mil.Em fevereiro deste ano, A Justiça de Estrela d’Oeste decretou prisão do ex-prefeito de Dolcinópolis Na mesma decisão foram decretadas as prisões preventivas da ex-tesoureira e do ex-diretor de administração da prefeitura. Policiais federais e militares de Jales e de Dolcinópolis cumpriram os mandados.O ex-prefeito de Dolcinópolis é investigado por desviar recursos públicos. O ex-prefeito mantinha negócios em Porto Seguro, onde é dono de um restaurante, uma loja de conveniência e um lava rápido na cidade.
A Polícia Federal entregou ao Ministério Público Estadual relatório com parte das informações coletadas nos documentos apreendidos e nos depoimentos prestados pelos conduzidos na deflagração da Operação Catatau. O Ministério Público de Estrela d’Oeste denunciou os investigados e representou pela mudança de prisões temporárias para preventivas e pela prisão de outros dois envolvidos nas investigações.

Os comentários estão desativados para esta matéria.