Esportes Comentários

Time ruim com folha salarial de mais de R$ 8 milhões

Fevereiro 07 / 2018

A média da folha salarial ao longo da temporada passada era de R$ 8,3 milhões. Na foto, Leco, presidente do tima cuja administração é péssima

A folha salarial do São Paulo cresceu 20% em 2018 na comparação com o ano passado. O aumento se deu depois dos nove reforços, sendo seis dentro de campo e três para a parte diretiva. Com a confirmação de Valdivia, último dos apresentados, o Tricolor vai desembolsar aproximadamente R$ 10 milhões por mês com salários e direitos de imagem de seu departamento de futebol.

A média da folha salarial ao longo da temporada passada era de R$ 8,3 milhões. Além de Valdivia, o São Paulo contratou o goleiro Jean, o zagueiro Anderson Martins, o meia Nenê e os atacantes Trellez e Diego Souza – o lateral-esquerdo Reinaldo e o volante Hudson já pertenciam ao clube e voltaram de empréstimo.

O Tricolor também aumentou seu custo com os novos dirigentes em R$ 310 mil mensais. É que Vinícius Pinotti abriu mão do salário como diretor-executivo de futebol em 2017. Seu lugar foi ocupado por Raí, que ganha R$ 150 mil mensais. Ricardo Rocha e Lugano chegaram em seguida, faturando R$ 80 mil, cada.

Nenê, Diego Souza e Anderson Martins desembarcam no Morumbi com vencimentos próximos ao teto salarial, de R$ 500 mil. Rodrigo Caio e Jucilei, que tiveram seus contratos renovados, também estão entre os mais bem pagos do elenco.

Por outro lado, saíram Hernanes, Pratto e Wellington Nem, que juntos faturavam R$ 1,4 milhão por mês. Maicosuel, Lugano, Denis, Buffarini e Gilberto também tinham salários entre R$ 300 mil e R$ 150 mil, ajudando a equilibrar as contas no Morumbi.

Os comentários estão desativados para esta matéria.