Cidades Comentários

Denunciado pelo MPSP, homem que participou do assassinato de servidora pública é condenado

Fevereiro 24 / 2018

Crime em São José do Rio Preto deixou outros feridos

Na última terça-feira (20/2), o Tribunal do Júri de São José do Rio Preto, contando com atuação do promotor de Justiça José Marcio Rossetto Leite, acatou tese do Ministério Público de São Paulo e condenou Paulo Oliveira Moreira da Silva a 45 anos e seis meses de prisão por participar da morte da funcionária pública Luzia de Morais Francisco. O ataque deixou outros cinco feridos. O crime aconteceu no dia 3 de abril de 2015.

De acordo com a denúncia apresentada pelo promotor de Justiça José Heitor dos Santos, quatro criminosos passaram de automóvel diante de um estabelecimento comercial atirando contra quem estava na calçada. Baleada na cabeça, Luzia morreu no local. Outras cinco pessoas - Eder Oliveira da Silva, 20 anos, Neuraci Floriano, 57 anos e três adolescentes, um de 15 anos e dois com 17 anos - também ficaram feridas pelos disparos.

Após os tiros, os criminosos fugiram e foram perseguidos pela Polícia Militar. Durante a fuga, o veículo onde estavam os criminosos bateu na guia de uma calçada e os ocupantes continuaram a fuga a pé. Entraram em um matagal e não foram encontrados. Na caminhonete, os policiais encontraram uma touca ninja e cinco pinos de cocaína.

Durante as buscas, a polícia localizou e prendeu o dono do automóvel usado no crime. Adriano Cavalcante de Melo, 33 anos, foi acusado de ter participação no crime, assim como Silva. Melo, que também responde por homicídio, ainda vai a júri popular. As investigações apontaram que o crime foi motivado por brigas envolvendo tráfico de drogas.

Os comentários estão desativados para esta matéria.