Administração Comentários

Juros com empréstimos de R$ 10 milhões podem inviabilizar administrações futuras

Julho 21 / 2018

O prefeito André Pessuto (foto), que tenta colocar a administração em movimento, com obras mais vultuosas.

Quando vereador, o prefeito de Fernandópolis André Pessuto, sempre alfinetou a ex-prefeita Ana Bim ao qualifica-la que não tinha criatividade para romper alguns gargalos administrativos. Talvez a assertiva tenha conotação correta, mas até agora a administração atual caminha a passos lentos. Precisou ir a uma instituição bancária para avalizar R$ 10 milhões em empréstimos – R$ milhões para o recapeamento de 150.511,74 metros quadrados em vários bairros da cidade, e R$ 5 milhões para a construção da nova sede da Prefeitura. A visão mais política do que econômica, com a construção do novo paço, a administração economizará R$ 60 mil em alugueis por mês. Ressalta-se que a Prefeitura disponibiliza de um prédio na região central da cidade e, com pouco menos, faria uma economia maior e mais eficiente. Já financeiramente, caso a prefeitura consiga pagar o empréstimo em cinco anos, com juros de 5% ao ano, desembolsará a quantia de R$ .2.762.815,63, Já em uma simulação de 10 anos, somente em juros pagaria R$ 6.288.946,27. Como está endividada, as próximas administrações estarão comprometidas. O termo de parceria com o banco já foi assinado. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura não quis revelar a duração do contrato.

Os comentários estão desativados para esta matéria.